A actividade física e desportiva, uma actividade de enriquecimento curricular

Isabel Bayo, José Alves Diniz

Resumo


No ano lectivo 2006/2007, quando surge a Actividade Física e Desportiva (AFD), nos termos do ponto 9 alínea d), do Despacho n.º 12 591/2006 (2.ª série), de 16 de Junho, e mais tarde do Despacho n.º 14460/2008, de 26 de Maio.

Estamos perante uma actividade de enriquecimento curricular, exigindo uma maior articulação com a Expressão e Educação Físico-Motora (EEFM), formalmente presente no Currículo do 1.º CEB, mas que assume, por vezes, um estatuto de menoridade sempre que é preterida em relação a outras áreas curriculares.

Destacaremos, como tema central do presente artigo, e em resultado de um estudo realizado entre 2006 e 2009 nas Escolas Públicas do 1.º CEB do Concelho da Amadora (CA), o conhecimento das crenças, quer dos Professores Titulares de Turma do 1.º CEB (PTT), a leccionar o 4.º ano (55), quer dos seus Alunos (623) e respectivos Pais/EE (602), e, ainda, da totalidade dos Técnicos/Professores (57) da Actividade de Enriquecimento Curricular-Actividade Física e Desportiva (AEC -AFD) do CA, em torno dos aspectos relativos à EEFM/EF e à AEC -AFD.

Tivemos a preocupação de reflectir e confrontar alguns dos resultados obtidos no estudo com os novos diplomas legais que foram surgindo, principalmente no que diz respeito à AEC-AFD. Apoiámo-nos na inquirição através de questionários dirigidos aos PTT (n=55), aos seus Alunos (n=623) e respectivos Pais/EE (n=602), e, ainda, à totalidade dos Técnicos/Professores da AEC-AFD (n=57) e entrevistas (n=9) dirigidas a Coordenadores de Escolas do 1.º CEB (n=2), PTT (n=2), Pais/EE (n=3) e Técnicos/Professores da AEC-AFD (n=2).

A maioria dos Pais/EE (95,3%) considera que a EEFM deve ser obrigatória na escola, mas tão-somente 21,2% dos alunos afirma ter usufruído da mesma no 4.º ano, apesar de ela ser referida como área curricular da sua preferência. Unicamente 21,8% dos PTT admitiu ter leccionado a EEFM, justificando tal atitude (83,7%) no facto dos alunos terem AEC-AFD com um Professor especialista. Entretanto, a maioria dos Técnicos/Professores (61,4%) refere que a AFD está a funcionar como substituta da actividade curricular da EEFM. Dos alunos que alguma vez tomaram parte em sessões da AEC -AFD (84,3%), a maioria termina por afirmar “gostar muito” dessa actividade (74,6%). Por outro lado, 45,5% dos Pais/EE considera a AEC -AFD “muito importante”, enquanto que a maioria dos PTT a valorizam (96,4%), considerando-a ora “importante” (60%), ora “muito importante” (36,4%). Mas, em contrapartida, observa -se que 26,9% dos alunos do 1.º CEB, no CA, ou nunca frequentaram a AEC -AFD (15,4%), ou nem sempre frequentaram essa actividade (14,2%) durante o ano lectivo. Verificámos que 6,3% dos alunos não experimentaram nem a EEFM, sendo esta actividade de carácter obrigatório, nem a AEC -AFD e nem sequer praticaram, fora da escola, nenhum tipo de Actividade Física orientada de forma regular.


Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c) 2010 Boletim Sociedade Portuguesa de Educação Física

BOLETIM SPEF é uma publicação da Sociedade Portuguesa de Educação Física | eISSN: 2184-1594