Atividade física de lazer das pessoas portadoras de deficiência – que constrangimentos?

Jorge Arede, Rafael Cabral, Rafael Nunes, Rogério Santos, Hugo Sarmento

Resumo


Este estudo teve como objetivo principal aferir como é que na literatura eram descritas as barreiras e constrangimentos que impedem/dificultam a participação em atividade física de lazer por pessoas portadoras de deficiência.

Foram utilizadas as bases de dados B-on, Scielo e Google Scholar para a
pesquisa de fontes bibliográficas, resultando em artigos de diferentes tipologias(n=5), complementadas por outras fontes fruto da da consulta das referências bibliográficas dos diferentes artigos (n=6). As fontes foram agrupadas e apresentadas por em diversos tipos de deficiência, em deficiência motora, mental e auditiva.

A análise dos documentos resultados sugere que as pessoas com deficiência foram constrangidas por: i) barreiras estruturais, independentemente do seu continente de origem e da sua tipologia de deficiência; ii) por razões económicas, sobretudo os sujeitos com deficiência motora; iii) por questões sociais, em concreto, pela atitude que a sociedade tem perante as pessoas com deficiência, que constrange a sua prática de atividade física de lazer.

A revisão sistemática demonstrou que o paradigma emergente de uma prática desportiva e de atividade física inclusivas, em concreto num contexto de lazer, apresenta debilidades naspessoas portadoras de deficiência, uma vez que se deparam com um conjunto diversificado de barreiras/ constrangimentos (intrapessoais, estruturais e interpessoais) no acesso à prática de atividade física de lazer, que devem ser removidos em conjunto com a promoção de estímulos, aumentando assim as oportunidades para a prática e, consequentemente, os níveis de atividade física de lazer.


Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c) 2014 Boletim Sociedade Portuguesa de Educação Física

BOLETIM SPEF é uma publicação da Sociedade Portuguesa de Educação Física | eISSN: 2184-1594