COMO PERCECIONAM OS PROFESSORES A SUA IMAGEM CORPORAL

Jaqueline Cruz, Margarida Gaspar de Matos, Adilson Marques, José Alves Diniz

Resumo


A imagem corporal dos professores interfere no seu bem‑estar pelo que o estudo das variáveis que influenciam torna‑se, então, preponderante para o contexto docente.

O objetivo do estudo foi conhecer o grau de satisfação ou de insatisfação com a imagem corporal, por parte dos professores, e encontrar as variáveis que mais influenciam esta perceção.

Participaram 370 professores (264 mulheres) a lecionar em escola públicas, básicas e/ou secundárias, em Portugal Continental e nos Açores.

O instrumento utilizado foi a Contour Drawing Rating Scale e os resultados obtidos assentam em valores de estatística descritiva relacionados com a imagem corporal atual, ideal e a discrepância entreambas e ainda em regressões lineares múltiplas. Este instrumento carateriza‑se por um conjunto de 9 figuras, masculinas e femininas, sendo o número 1 correspondente a uma imagem corporal mais magra e a 9 a uma imagem corporal mais corpulenta (vide Figura 1).

Os professores de ambos os sexos, que estão satisfeitos com a sua imagem corporal encontravam‑se no intervalo etário dos 40 aos 49 anos. No grupo dos insatisfeitos com a sua imagem corporal, são as professoras que demonstraram estar mais insatisfeitas, idealizando na sua maioria uma imagem menos volumosa, i.e., uma imagem mais esguia aparentando menor peso.

Palavras‑Chave: bem‑estar; imagem corporal; professores; satisfação.


Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.


Copyright (c) 2018 Boletim Sociedade Portuguesa de Educação Física

BOLETIM SPEF é uma publicação da Sociedade Portuguesa de Educação Física | eISSN: 2184-1594